1960 a 1970 - O Plano Diretor

Fatos que marcaram a década 

 

O Plano Preliminar de Urbanismo nasce, em 1964, de concurso público ganho pelas empresas paulistas Serete Engenharia S.A. e Jorge Wilheim Arquitetos Associados, que propõem mudanças na estrutura da cidade com a adoção de um modelo linear de expansão urbana. Em 1965 são realizados debates públicos, que ocorrem no Seminário Curitiba de Amanhã, para discussão da proposta com a população e, em 1966, o novo Plano Diretor é aprovado.

 

As diretrizes do Plano Diretor orientam o processo de crescimento da cidade de forma ordenada e estão reunidas em três funções básicas: Uso do Solo, Transporte Coletivo e Sistema Viário. Exemplos destas diretrizes são a hierarquização do sistema viário, o zoneamento de uso do solo, a regulamentação dos loteamentos, a renovação urbana, a preservação e revitalização dos setores históricos tradicionais e a oferta de serviços públicos e equipamentos comunitários.

 

Tripé


O IPPUC inicia o detalhamento dos projetos que provocarão, na década de 1970, quatro grandes transformações: física, econômica, cultural e social.

 

O planejamento urbano adota o princípio de que a ocupação e o uso do solo podem ser induzidos, coibidos, disciplinados. Definido o zoneamento, os parâmetros devem ser monitorados de maneira a permitir a constante evolução da Cidade.

 

É realizado o primeiro estudo do metrô de Curitiba que avaliou, à epoca, os melhores sistemas de transporte existentes no mundo, as características do transporte e do sistema viário de Curitiba e as soluções técnicas para implantação de um sistema de transporte rápido e de massa, em consonância ao Plano Diretor e às necessidades da cidade. 

 

Estudo do metrô de Curitiba - traçado geral das linhas

 

Alteração da conformação radial de crescimento para um modelo linear de expansão e desenvolvimento urbano que, evitando custosas desapropriações, tomou forma com a construção de linhas contínuas ligando trechos isolados na malha viária, transformando-as em novas ligações viárias. O Sistema Trinário foi a solução encontrada para implantar os eixos estruturais que conduziriam o crescimento linear proposto. Composto por uma via exclusiva destinada ao transporte coletivo, duas vias de tráfego lento, que permitem o acesso ao comércio e às residências, e duas vias externas, em sentido contrário (centro-bairro e bairro-centro) chamadas de vias de tráfego rápido, que permitem o tráfego de passagem. O sistema trinário estabelece o desenho da nova cidade.

Esquema do sistema trinário

 

Esquema do sistema trinário e zoneamento

 

São definidos parâmetros de ocupação que orientaram os investimentos públicos e privados e disciplinaram as atividades da iniciativa privada.

 

A revisão do zoneamento, estabelecido pelo Plano Diretor, define novas zonas residenciais e comerciais e disciplina as zonas de expansão urbana.

 

Construção do Centro Politécnico e da primeira escola municipal de Curitiba - a Papa João XXIII.

 

São criadas as Companhias de Habitação Popular de Curitiba (COHAB) e de Urbanização e Saneamento de Curitiba (URBS), atualmente denominada Urbanização de Curitiba S/A.

 

Plano Preliminar de Urbanismo, 1965

Plano Preliminar de Urbanismo, 1965 - mapa do zoneamento

Plano Preliminar de Urbanismo, 1965 - mapa do sistema viário

 

Projeto de Lei do Plano Diretor 72/1966

Lei do Plano Diretor 2.828/1966

Lei do Plano Diretor 2.828/1966 - mapa do zoneamento

Lei do Plano Diretor 2.828/1966 - mapa do sistema viário

 

Estudo Preliminar do Metrô de Curitiba, 1969